fbpx

A lei que cria a Empresa Simples de Crédito (ESC), sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) no último mês, deve contribuir para a redução da taxa de juros para milhões de pequenos empreendimentos no país.

Essa é a expectativa da Associação Brasileira de Franqueados (Asbraf), que aponta que, dentre os principais beneficiados com a nova legislação, estarão as empresas que se enquadram os microempreendedores individuais (MEIs) e as chamadas microfranquias, considerada nova tendência de negócios e que possuem operações com investimento inicial até R$90 mil.

“Estudos preliminares do Sebrae estimam que, se mil pequenos investidores aderirem à figura jurídica da Empresa Simples de Crédito (ESC), o mercado de crédito aos pequenos negócios poderá receber uma injeção de R$ 20 bilhões”, aponta o presidente da Asbraf, Raul Canal.

O presidente da associação considera a ESC uma política altamente preventiva, fortalecedora do protagonismo local de milhares de pequenos municípios brasileiros, geradora de emprego e renda e, principalmente, do aumento da produtividade.

Além disso, segundo Canal, vai promover sustentabilidade e competitividade a milhões de micro e pequenos empreendimentos que operam nos setores deComércio, Serviços, Industrial e do Agronegócio.

“Esse espetacular contingente de pequenos negócios, e o novo formato de franquia empresarial conhecido como microfranquias, passam a contar com uma política de acesso ao crédito inovadora, desburocratizada e fortalecedora do desenvolvimento local”, afirma Raul Canal.

Um estudo desenvolvido pela Asbraf mostra que 570 categorias profissionais que desenvolvem atividades nos setores do comércio, serviços e indústria, já optaram pela legalização dos seus negócios por meio da figura do Microempreendedor Individual (MEI).

Desde o início da Lei Complementar nº 128, em 19 de dezembro de 2008, já foram realizadas 8.336.541 formalizações pelos benefícios e vantagens da referida lei.

Sobre a Asbraf

A Associação Brasileira de Franqueados (ASBRAF) é uma entidade civil sem fins econômicos e tem como sócios fundadores empreendedores, empresários e profissionais de mercado, que na condição jurídica de representantes, distribuidores e franqueados tiveram, desde o ano de1980, participação ativa nos marcos históricos da implantação do modelo de franquia empresarial (franchising) no país e na regulamentação da Lei nº 8.955/94, que dispõe sobre contrato de franquia empresarial (Franchising).

Conheça as 50 primeiras categorias profissionais de Microempreendedores Individuais enquadradas na Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE, no link:

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar o Documento

Fonte: Associação Brasileira de Franqueados – Asbraf. Diretoria de Estudos e Pesquisas. Maio 2019. Brasília – DF.

%d blogueiros gostam disto: