Governo lança plataforma para digitalizar 200 mil empresas

Por: Poder360

O governo federal lançou nesta 4ª feira (31.jan.2024) a plataforma da Produtividade, ferramenta de acesso ao novo Brasil Mais Produtivo, programa que tem como objetivo aumentar a produtividade e a competitividade de micro, pequenas e médias empresas industriais. A iniciativa faz parte do Nova Indústria Brasil, projeto de neoindustrialização do governo Lula.

Os empresários interessados em participar já podem se inscrever. Ao se cadastrar, os serviços já estarão disponíveis. O lançamento da plataforma também marca o início da nova fase do Brasil Mais Produtivo, que, a partir deste ano, terá foco terá foco na transformação tecnológica das empresas.

As empresas selecionadas serão atendidas pelo Sebrae e pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). A assessoria será focada em melhoria de gestão, inovação, mercado, manufatura enxuta, eficiência energética e transformação digital.

O Brasil Mais Produtivo terá R$ 2 bilhões em investimentos. A meta do programa é atender 200 mil empresas pela plataforma até 2027. Desse total, 93.000 serão atendidas direta e presencialmente nas fases iniciais do programa. O objetivo do programa é transformar digitalmente 90% das pequenas empresas industriais.

Segundo o Sebrae, 50.000 empresas receberão orientações, diagnósticos e planos de melhorias, com o acompanhamento de agentes locais de inovação. Depois dessa fase, 30.000 negócios deverão obter atendimento integrado com consultorias em Manufatura Enxuta e Eficiência Energética.

O programa tem parceria com:

  • BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social);
  • Finep (Financiadora de Estudos e Projetos);
  • Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial);
  • ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial)

O programa Brasil Mais Produtivo existe desde 2016. Até então, as instituições parceiras atuavam separadamente em duas frentes: enquanto o Sebrae prestava consultorias ao setor de Comércio e Serviços, o Senai atendia a indústria. Com a nova configuração, as duas entidades atuarão de forma coordenada.

Segundo o programa, o 1º passo será a elaboração de diagnóstico da maturidade para adoção de tecnologias industriais inteligentes, seguido de elaboração de projeto customizado, solução de financiamento e acompanhamento da implantação.

O evento registrou a presença do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB), e do ministro do Empreendedorismo, Márcio França (PSB).

Eles [empreendedores] acham que queremos cobrar impostos. […] Precisamos trazer de volta a confiança dessas pessoas. A iniciativa de criar em formato de plataforma tem que vir incorporada e unificada”, disse Márcio França.

Em seu discurso, Alckmin defendeu fortalecer o comércio intra-regional da América do Sul. O vice-presidente e ministro do Mdic (Ministério da Indústria, Desenvolvimento, Comércio e Serviços) também pediu apoio para o BNDES Exim, linha de crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), voltada para a produção nacional de equipamentos e bens de consumo para exportação.

“Temos que reconquistar os vizinhos. É para onde a gente vende valor agregado”, afirmou no evento.

MODALIDADES DO PROGRAMA
O novo Brasil Mais Produtivo terá 4 modalidades de atendimento até 2027:

  • plataforma de produtividade: até 200 mil micro, pequenas e médias empresas terão acesso a cursos, materiais e ferramentas sobre produtividade e transformação digital;
  • diagnóstico e melhoria de gestão: até 50.000 micro e pequenas empresas receberão orientação e acompanhamento contínuo de Agentes Locais de Inovação e outros instrumentos do Sebrae para aumento da produtividade, além de projetos setoriais do Sebrae que também serão oferecidos;
  • otimização de processos industriais: consultoria mais educação profissional; até 30.000 micro e pequenas empresas serão atendidas por consultoria em Lean Manufacturing ou Eficiência Energética e aperfeiçoamento profissional do Senai; até 3.000 médias indústrias serão atendidas por consultoria em Lean Manufacturing ou Eficiência Energética e aperfeiçoamento profissional do Senai.
  • transformação Digital: 360 empresas apoiadas com desenvolvimento de tecnologias 4.0; serão beneficiadas 8.400 MPMEs (micro, pequenas e médias empresas) com soluções desenvolvidas por empresas provedoras de tecnologias 4.0, via chamadas Smart Factory, além da possibilidade de contratação de pós-graduação em Smart Factory do SENAI com desconto; até 1.200 médias empresas serão contempladas com um plano completo de transformação digital, da elaboração do projeto de investimento ao acompanhamento.

Compartilhe este artigo nas redes sociais

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Últimos posts:

3 minutos ago

Medida pode alavancar mais de R$ 35 bilhões em crédito para que os devedores possam refinanciar suas dívidas, segundo o ministro O…

4 dias ago

Estratégia Elas Empreendem pretende incentivar a inclusão social e fortalecer o papel das mulheres no desenvolvimento econômico Agência Gov | Via Planalto…

5 dias ago

BRASÍLIA| Rafaela Soares, do R7, em Brasília11/04/2024 – 07H56 (ATUALIZADO EM 11/04/2024 – 07H56) Decreto foi publicado nesta quinta-feira(FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL) O presidente Luiz Inácio…

Posts relacionados:

3 minutos ago

Medida pode alavancar mais de R$ 35 bilhões em crédito para que os devedores possam refinanciar suas dívidas, segundo o ministro O…

4 dias ago

Estratégia Elas Empreendem pretende incentivar a inclusão social e fortalecer o papel das mulheres no desenvolvimento econômico Agência Gov | Via Planalto…

5 dias ago

BRASÍLIA| Rafaela Soares, do R7, em Brasília11/04/2024 – 07H56 (ATUALIZADO EM 11/04/2024 – 07H56) Decreto foi publicado nesta quinta-feira(FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL) O presidente Luiz Inácio…