The Body Shop do Reino Unido entra em recuperação judicial após venda pela Natura &Co

Por Sabah Meddings e Katie Linsell em Bloomberg Línea

Bloomberg — A unidade da marca The Body Shop no Reino Unido entrou em recuperação judicial , colocando em risco mais de 2.000 empregos e 200 lojas, em mais um golpe para os centros de comércio britânicos.

A varejista, de propriedade da empresa de private equity Aurelius , nomeou administradores da FRP Advisory na terça-feira (13). Ela disse que a medida era a melhor maneira de garantir o futuro da marca.

A Aurelius, que também é proprietária da cadeia de artigos esportivos Footasylum e da farmácia Lloyds, concordou em adquirir a The Body Shop do conglomerado brasileiro de cosméticos Natura & Co. (NTCO3) ) no final do ano passado, em um acordo que avaliou a varejista em 207 milhões de libras (US$ 262 milhões).

A Natura havia sido proprietária da marca desde que a comprou da L’Oréal em 2017.

Quem fundou a The Body Shop

A The Body Shop foi fundada em 1976 pela ativista dos direitos dos animais Anita Roddick, que começou com uma pequena loja na cidade de Brighton, na costa sul da Inglaterra.

Ela se tornou popular por vender cosméticos e produtos de higiene que não eram testados em animais.

Os shoppings, centros de varejo e principais ruas comerciais da Grã-Bretanha foram atingidos pelo declínio de várias marcas importantes.

A rede de produtos de baixo custo Wilko entrou em recuperação judicial em agosto passado, colocando em risco 12.000 empregos, embora algumas filiais tenham sido posteriormente compradas por varejistas rivais.

Paperchase, Cath Kidston e M&Co estavam entre outras marcas que entraram em recuperação judicial nos últimos 18 meses.

“Cosméticos cruelty-free não são mais o nicho que costumavam ser”, disse Matthew Padian, sócio especializado em reestruturação e insolvência do escritório de advocacia Stevens & Bolton.

“Parece possível que a The Body Shop possa ser apenas mais uma Wilko, ou seja, uma empresa com uma história forte, que não conseguiu acompanhar as demandas do consumidor moderno e, possivelmente, volátil.”

A The Body Shop enfrentou uma concorrência crescente de rivais mais capazes de atrair consumidores mais jovens online.

O comércio eletrônico em beleza quase quadruplicou entre 2015 e 2022, ultrapassando 20% das vendas, de acordo com a McKinsey.

Compartilhe este artigo nas redes sociais

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Últimos posts:

21 horas ago

Planejamento para os próximos 4 anos tem o objetivo de tornar o ambiente de negócios mais competitivo O Ministério do Empreendedorismo aprovou…

23 horas ago

Empresas têm recebido orientações dos Agentes Locais de Inovação (ALI) voltadas para a melhoria da produtividade e transformação digital Durante a jornada…

2 dias ago

Especialistas ressaltam que a decisão confirma a validade do contrato de franquia e reforça jurisprudência sobre inexistência de vínculo de emprego na…

Posts relacionados:

21 horas ago

Planejamento para os próximos 4 anos tem o objetivo de tornar o ambiente de negócios mais competitivo O Ministério do Empreendedorismo aprovou…

23 horas ago

Empresas têm recebido orientações dos Agentes Locais de Inovação (ALI) voltadas para a melhoria da produtividade e transformação digital Durante a jornada…

2 dias ago

Especialistas ressaltam que a decisão confirma a validade do contrato de franquia e reforça jurisprudência sobre inexistência de vínculo de emprego na…